Cursos Belo Horizonte: e-mail para helenacompagno@hotmail.com ou acesse na janelinha à direita

27 de agosto de 2012

Ainda os conjuntos

Fiz um conjunto em linho berinjela lindo, lindo de morrer! Pedi para minha filha me fotografar, fiz pose e... a máquina pifou! as fotos estão péssimas, embaçadas e eu não tive tempo de mandar para o conserto ou comprar outra. Então vai assim mesmo, pois não posso deixar de incentivar você que me lê, que você pode, com pouco dinheiro se vestir bem, ser elegante, estar bem em qualquer lugar.  Dessa forma está bem vestida para o trabalho, para a missa, para uma reunião de amigos, um cinema, um jantar, uma viagem... só vai estar um pouco amassada porque linho tem disso!

Mas o mundo trata melhor quem se veste melhor - isso nunca deixou de ser verdade.



Eu disse no último post que não fiz nenhuma saia para mim, mas não resisti ao ver tanta saia saindo do ateliê no corpo das alunas - todas impecavelmente ajustadas aos seus corpos porque fizemos sob medida! Quando fazemos uma roupa sob medida ficamos cara a cara com nossa realidade corporal! Eu fiquei surpresa, pois as minhas medidas de quadril e cintura eram quase iguais! Gente, eu sou reta mesmo! mas procuro disfarçar os meus defeitos. 

A saia ficou meio retona, então disfarcei, afunilando na barra em dois centímetros de cada lado - isso deu uma sensação de que meu quadril era mais largo! A blusa eu fiz partindo do molde do meu pretinho básico - copiei até a cintura, desci um pouco mais. Não fiz penses na frente, fiz um recorte descendo a partir do meio da cava das mangas, passando pelo busto e descendo até a barra - não dividi as partes, apenas risquei no avesso e passei a costura seguindo a curva; deu super certo. Nas costas fiz duas penses e entrei mais na cintura. Não coloquei zíper nas costas, deixei uma pequena abertura, fechando com um botão forrado, preso por uma laçadinha. Agora que tenho a máquina de forrar botão, coloco botão em tudo o que é roupa - também coloquei na saia acima do zíper substituindo colchetes. A manga em forma de meia lua com uma pequena prega no ombro... ah, eu ando apaixonada por essa manga!


23 de agosto de 2012

Saia básica sob medida

... a saia que NUNCA cai de moda...

Já falei aqui como sempre fiz as minhas roupas, sempre baseadas em outras que já tenho, alterando uma coisa ou outra, com moldes prontos, pois não sei fazer moldes porque abandonei o curso que, por causa da minha ansiedade crônica, muito demorado. Por isso não ensino a modelagem, pois faço do meu jeito - dá sempre muito certo. Mas não posso ensinar dessa forma às alunas, vai que alguma modelista resolva me processar! Mas modelagem de peças simples, bem simples, essas eu sei fazer muito bem,  como saia reta, dessas clássicas que usamos a vida toda. Portanto, o curso de costuras aqui é para iniciante, onde ensino apenas a costurar roupas para vestir a casa. Se a aluna tiver interesse, certamente conseguirá fazer uma saia assim, com molde comprado ou copiando da internet, mas isso ela faz na casa dela, do jeito dela.


20 de agosto de 2012

Ultimamente ando embrulhada!

Não, não estou enjoada. Não estou grávida!

Comprei algumas musselines com estampas bem bonitas para fazer echarpes, mas quando joguei o tecido em cima da mesa de corte, tive dó de cortar. Por que não usá-las como vestidos?

Cada corte tinha 2 metros. Dobrei o tecido de modo que as ourelas ficaram nas laterais. Separei as duas partes. Cada parte ficou com 2 metros de comprimento x 75cm de largura (75 para a frente e 75 para as costas).
 Juntei as duas partes e costurei só em cima, deixando um espaço para a cabeça.Fiz as bainhas nas duas laterais e barra. E pronto.

Ele aberto fica assim
Puxei a parte das costas na altura da cintura, passando para a frente e amarrando com um pequeno nó.

E não é que virou mesmo um vestido!

Tenho vários. São levíssimos, fácil de lavar, de passar, de guardar, de levar na mala...

Dá até para usar na praia. É só incluir o chapéu!

17 de agosto de 2012

Vestido infantil

Este vestido fofo foi feito por uma aluna para presentear a sobrinha. Ela fez sozinha, sem minha ajuda porque eu estava em férias! Não é lindo?
Logo que vi esse vestido bateu uma saudade da época que eu fazia vestidinhos e vendia na porta das escolas em São José dos Campos (SP). Eles faziam o maior sucesso. Costurar vestidinhos é ótimo porque qualquer pedacinho se faz um, não precisa ter uma mesona de corte, a costura é mais rápida; crianças não têm peito, não tem culote, geralmente (geralmente!) não têm barriga, não ficam ridículas dentro dos babadinhos, das preguinhas, das sianinhas, das rendinhas... 

...e porque quando costuro vestidinhos eu ressuscito a criança que existe dentro de mim...

Obs: Devo esclarecer que no curso de costuras para iniciantes não ensino a costurar roupas. A inciciativa foi da aluna, que costurou sozinha em casa, copiando esse modelo na internet.

14 de agosto de 2012

Domingo pede mesa arrumada


Desde que me casei tinha por hábito, todos os finais de semana, servir o café da manhã com a mesa bem arrumada e repleta de guloseimas matinais. Hoje minhas filhas referem dormir até altas horas a tomar o café da manhã. E para eu não me aborrecer em ter que ficar chamando, prefiro convidar meu marido para tomarmos o café da manhã na padaria. Se não temos a companhia delas, também não tenho nenhum trabalho.

Mas sábado já fui dormir jurando-as de morte caso não levantassem cedo para tomarmos o café juntos no domingo dos pais. Para a minha surpresa (e alegria) a mais velha não só madrugou como também me ajudou a preparar tudo, inclusive arrumou a mesa também. Filho às vezes aborrece, mas às vezes tá tanta alegria... 


Quis estrear os jogos americanos duplos que fiz no dia anterior, embora com motivos natalinos. Para dar mais graça, utilizei pérolas presas com linha de bordado, simulando um barradinho. Vejam:
.
 Também fiz meia dúzia de guardanapos com os cantos mitrados. Utilizei como prendedores argolas de uma cortina em desuso. Essas argolas vendem na Leroy Merlin, baratinhas.

 Utilizei um metro de tricoline para as duas peças (dá para 4 pessoas). Para o tecido de baixo usei brim americano. Juntei os dois tecidos, costurei e virei para o direito.  
 O tecido de baixo ficou assim:
 Detalhe do canto:

10 de agosto de 2012

A sexta-feira se vestiu de branco!


Hoje é meu dia de "folga"! E alguém com espírito tão inquieto como o meu consegue ter folga? Estou, desde bem cedo, esquentando a cuca para fazer umas fronhas com barras bordadas para dar mais requinte aos meus enxovais e também ensinar às alunas. Como já cansei de falar aqui que vivo namorando os enxovais Trousseau, mas nunca compro porque acho carééééérimos, não ia sossegar enquanto não fizesse uma daquelas fronhas que ficam se exibindo para mim quando passo em frente aquela loja. Cheguei a comprar, não lá, mas em outra loja com preços mais baixos, embora também caros para o meu bolso. Mas valeu o investimento porque esse negócio de só olhar e tentar fazer igual depois que chegar em casa para mim não dá certo - esqueço tudo! Tenho que pegar, examinar, virar do avesso, medir... Posso até fazer melhor, inventar outras formas, mas tenho que ter uma de amostra. Gastei, mas copiei! (quem manda vender tão caro!). Vejam:

As dobras dos cantos devem ser marcadas com medidas exatas. Deu trabalho para chegar ao ponto certo.

O avesso fica assim.
 Há diversos tipos de barrados, em alguns lugares se fala bordado inglês, em outros tira bordada. Nessa última foto é um guipir, mais fácil de aplicar, embora BEM mais caro. Para o tecido das fronhas usei percal 200 fios. Menos fios não dá, fica pobre, não faz jus ao barrado. Prefira tudo 100% algodão. Os sintéticos são duros, queimam fácil ao passar a ferro. Mas lembre-se: molhe tudo primeiro, pois se tratando de algodão, encolhe, fica enrugado. 

 A minha cama está toda chique (e eu toda descabelada!!!!)

8 de agosto de 2012

Tudo combinandinho

Aproveitando a onda dos "tudo bombinandinho" criei um tubinho com as sobras do tecido daquele casaco que já falei Aqui, copiado de um roupão de banho. Como gosto de inventar, modificar, incluí um bolsão no vestido - o mesmo modelo de bolso que uso nos aventais feitos aqui em aula. Eu adoro esses bolsos, pois se tenho que sair para resolver alguma coisa na rua, nem levo bolsa, coloco tudo no bolso, chaves a documentos. Quando usado sem o casaco, empresto o cinto, preso por botões forrados, economizando fivelas. Usei cambraia de algodão para o forro do vestido e tricoline preta para o forro do casaco. A lã é daquelas que desfiam só de olhar, não dá para ficar saracutiando muito de frente ao espelho ao prová-lo, pois corre o risco de ficar só com os fiapos da roupa.



Aqui os dois juntos

Aqui ele aberto


Minhas filhas adolescentes vivem dando palpites nos meus trajes - a maioria das vezes criticando. Segundo elas, "nada a ver" casaco combinando com vestido, cinto combinandinho com casaco... Mas vejam aqui e aqui também a volta dos "tudo combinandinho". Tô na moda!

7 de agosto de 2012

Vestido feito por aluna

Um tubinho básico, levinho para os dias de calor. Gosto de usar com sapato baixo, tipo sapatilha ou sandália em tirinhas. Sapato ou sandália, alto ou baixo, tudo cabe, tudo pode. Simples assim.
Esse vestido foi feito em tecido tricoline 100% algodão, mas bem levinho. Ele foi feito por aluna, bem como a camisa abaixo quando havia o módulo II. Atualmente não costuramos mais roupas. Apenas artigos para casa e presentes. O curso é destinado apenas para iniciante, pois quando inventava de ensinar alguma peça de vestuário às alunas, mesmo as mais básicas peças, a costura acabava ficando por minha conta - não é a proposta do curso! Quem deve costurar tudo é a aluna.

5 de agosto de 2012

Vestido manga meia lua

Vi um vestido longo, estampado na Hering. Provei, examinei, mas não comprei porque estava convencida que iria encontrá-lo no site da loja e poderia costurar um igual, pois tinha o tecido, igualzinho, comprado em SP para fazer colchas e almofadas para o quarto das minhas filhas. Fiz o vestido, mostrei aqui. Daquele nasceu outro, este floral que mostro abaixo. Reproduzi a manga meia lua em outros tantos, em blusas, ensinei às alunas. Mas uma pessoa maldosa, que não sei porque acompanha meu blog, duvidou da sua autoria, me insultou, me agrediu porque havia comprado um igual, embora ela afirmasse que costurava muito bem. Depois disso desgostei do vestido e resolvi fazer com ele, capas para almofadas que pretendo doar à minha faxineira. Deletei as fotos e substituí por este aqui, mais alegre, mais a minha cara. Não quero sair por aí usando roupa de capa de almofada!
 ..





3 de agosto de 2012

Curso de presentes natalinos


Mas já é Natal? Ainda não, mas já estou fazendo a programação para um cursinho só para presentes. Nele você fará presentes para toda a família e amigos, com exclusividade, economia e bom-gosto. Cada mês terá um tema diferente e desta  vez as aulas serão em turmas (máximo de três). Ou seja, terei apenas 6 vagas a cada mês. Nossos encontros vão acontecer todas as sextas-feiras (4 horas por dia).  Os horários serão das 8:30 às 12:30 ou das 14:00 às 18 horas. Com exceção dos aventais, todos os materiais utilizados serão fornecidos aqui, cobrados à parte (preço de custo). Teremos uma ajudante, cafezinho, comidinhas e muitas risadas. Ao final dos 3 meses, na primeira sexta-feira de dezembro, faremos uma confraternização, reunindo todas as turmas, onde iremos apresentar todos os trabalhos feitos aqui e aqueles que foram feitos em casa, sozinhas. Nesse dia será servido um caprichado café da manhã com as mais variadas comidinhas matinais. "Ah, mas eu não sei costurar nada, nunca sentei numa máquina!" Para isso vou oferecer um pequeno treinamento, onde vou reservar uma manhã inteira (ou tarde) para conhecer a máquina, treinar, treinar... até ficar craque na costura reta, pois para executar esses trabalhos, nada mais é preciso saber: costurar reto e ter paciência. Vai ser divertido, venham?

Setembro - tema bolsas
Bolsas para pequenas viagens
eco-bag
bolsinha com fecho da vovó e porta-níquel
necessaires
organizador de bolsa
cestinho organizador

Outubro - tema Cozinha
Jogos americanos
cestinha em tecidos
jogos de guardanapos com cantos mitrados (lindos de morrer!)
Semaninha (7 paninhos de prato cada um com um barradinho diferente)
Aparador de travessas
Luva para pegar panela
aventais

Novembro - temas variados
Velas
aromatizador de ambientes
sabonetes
joguinhos de toalhas para lavabos
porta-guardanapos

Local: 
Em meu ateliê de aulas regulares, Belo Horizonte, bairro Buritis, a 10 minutos do BH-Shopping. 
As vagas só serão preenchidas mediante depósito de de 30% do pagamento. Espero seu contato através da janelinha lá em cima do blog "contato" para maiores informações.








2 de agosto de 2012

Canto Mitrado

Gosto de mesas bem postas, louças bonitas, toalhas e guardanapos em tecidos, mesmo que seja para servir apenas um simples cafezinho com pão e manteiga para a família aos domingos. O simples, caprichado, torna-se belo e até requintado. E quando se fala em requinte...
guardanapo com canto mitrado...

preso por anéis...

em linho, melhor ainda...
Via-os em bons restaurantes, em festas requintadas, em lojas caras e de bom gosto e ficava examinando, tentando entender como se fazia aquelas graciosas bainhas, perfeitas, viradas, embutidas... Foram muitas tentativas, muitos retalhos perdidos, muitas pesquisas na net... até ter a cara de pau de pedir para a Cinária me ensinar, pois o blog dela tem tanto passo-a-passo... (esclareço abaixo que não foi cara de pau*).

A resposta não demorou mais do que a minha crônica ansiedade e lá estavam eles, cortados, dobrados, costurados... tudo explicado. Logo pus mãos à obra e eis que surgem os meus primeiros cantos mitrados. Cinária, tudo o que é primeiro a gente não esquece...

E eu não vou esquecer nunca por essa sua generosidade em doar seus conhecimentos assim, de graça, sem nem nunca ter me visto, embora moramos na mesma cidade...
(*) Bem, não foi cara de pau, pois escrevi a ela, perguntei se daria aulas em casa ou em seu ateliê, pagando, obviamente. De imediato não obtive resposta, mas depois ela fez um pap especialmente dizendo atender a pedidos meus. Nossa, fiquei super comovida, pois não esperava tanta generosidade de alguém que nem conhecia