Cursos Belo Horizonte: e-mail para helenacompagno@hotmail.com ou acesse na janelinha à direita

22 de novembro de 2014

Cresci

Ontem eu era tão pequenino... servia até como chaveiro. Estava AQUI nesse post.
Hoje eu cresci! Fiquei forte, corado, corajoso. Sirvo mesmo para ficar pendurado na maçaneta da porta.
Mudei a posição da cabeça, do laço...
Ontem eu era assim:
Entonces, já posso ser feito nas aulas de costuras...

Nossa, como era bigodudo!


21 de novembro de 2014

Sentindo-se querida

A Helenice, uma ex-aluna, me enviou por e-mail o molde de um gatinho fofo, lindo, para ser pendurado na maçaneta da porta. Mas só hoje consegui um tempinho para imprimir o molde e tentar fazer o gatinho. Na hora de imprimir não reparei no tamanho que saiu bem pequeno. Estava só com uma folha e acabei usando o molde pequeno mesmo. 

Costurar as voltinhas não foi uma tarefa muito fácil - foi preciso segurar bem o tecido. O ponto ficou miudinho. Não desisti. Fui adiante. Estava gostando do gatinho bem pequeno.

E ele ficou assim depois de pronto!
Pensei logo em presentear a Helenice que viria aqui no dia seguinte. Ela é uma querida!  Fiz  uma embalagem bem delicada, cortando um saquinho de filó, assim:

Prendi o filó com fita crepe na base de corte para não escorregar. Depois foi só cortar com o cortador circular seguindo as linhas, utilizando a régua própria para o cortador. Esses materiais facilitam muito na hora do corte, pois com a tesoura você corre o risco de cortar torto e, consequentemente,  costurar torto.

Fiz o saquinho em forma de envelope. Costurei uma rendinha em toda a volta, prendi com fita de cetim e ficou assim, tão fofo quanto o gatinho. Pinguei umas gotinhas de essência Trousseau, mas para fixar melhor o perfume, vai no final desse post AQU, onde a Helga (mãe de uma ex aluna e amiga) ensina. Use a essência que preferir. A Helga gosta da essência Dove, eu gosto da Trousseau porque acho que tem cheiro de coisa bonita.

Pronto. Tá aí um presente bonito que não custou nada, nadinha. Você não acha feio chegar na casa de alguém com a mão abanando? eu acho. Sempre, sempre recorro aos meus dons costurísticos nessas horas. 
Aprenda a costurar se você gosta de agradar, de agradecer, de ser gentil, de ser simpática, de ganhar dinheiro... 
O molde é esse aqui:
Faz para presentear no Natal! Faz para usar na sua casa...
... no puxador da gaveta
... deixar o banheiro (ou lavabo) cheiroso


...na porta do quarto
... na sala
... na escada, dentro dos armários de roupa, no carro...
E se você sabe costurar, mas não tem ideia do que costurar para presentear, venha aqui que eu lhe ensino a fazer presente para toda a família. Até o dia 19 de dezembro as aulas vão estar em ritmo natalino - vamos costurar só presentes. Depois desse dia entro em férias e só volto em fevereiro.

Quem não se sente querida quando ganha um mimo desses?

Eu me sinto. 

12 de novembro de 2014

Agenda

Você usa agenda?
Eu uso desde quando comecei a trabalhar como secretária. Foi um hábito que levei para a minha vida pessoal. E a cada final de ano troco por outra e guardo a antiga. Comecei a guardá-las desde quando minhas filhas nasceram, pois nelas estão todos os registros das nossas vidas, as dores, as alegrias, o que compramos, onde fomos, o que gastamos. Qualquer dia resumo tudo e publico um romance!
Capa de agenda dupla face feita em aula pela Regina

Ótima opção de presente. A Regina vai presentear algumas amigas com essas agendas. E ela vai. Garanto que vai, pois tudo o que aprende aqui reproduz em casa, traz na aula para eu ver, fica empolgada.
Todo mundo deve estar morrendo de vontade ser amiga da Regina, não está?

11 de novembro de 2014

Voglio ringraziare...

... à Kaire, que vive na Itália, 
Faz tempos me enviou pelo correio essas pequenas felicidades, expressando gratidão. Nem precisava!
São paninhos floridos, listradinhos, estampadinhos; rendas e sianinhas...
à Kaire eu quero agradecer.

Mas só hoje pude transformá-los em outras pequenas felicidades
Comprei toalhas para o lavabo. Deixei de molho com bastante água e deixei secar, pois toalhas também encolhem depois da primeira lavagem. 
Como eram vários tecidos, cortei apenas alguns. Os demais vão para outras roupas da casa. Para cada toalha cortei uma faixa de tecido com 10 de altura pela largura da toalha + 2 centímetro.
Primeiro prendi a sianinha à beirada do tecido. Dobrei uma pequena barra para dentro, deixando só as pontinhas da sianinha para ficar bem delicado, como imagino tudo que faz a Kaire.
 Para ficar mais delicado, inclui uma tira de uns dos tecidos. Costurei tudo com muito cuidado para deixar bonito o meu lavabo
E lembrar sempre da amiga Kaire!

8 de novembro de 2014

Amar é sofrer num paraíso?

OBS: Antes de iniciar, faço logo uma observação: Não é que eu não goste de animais. Não é que sou malvada. Não é que sou egoísta. É que trabalho das 8 às 18. Meu tempo livre comigo é pouco - preciso de mim! Quando estou dando aulas não acho certo deixar a cachorrinha entre as alunas, latindo, lambendo pernas - elas pagam pela aula individual, querem atenção. A cachorrinha não quer ficar sozinha. Sofro com isso. Por isso o desabafo que fiz sábado. Então vamos ao texto. Mas, por favor, não me julguem, tenho direito de ser o que sou!

Hoje o dia amanheceu nublado, escuro, anunciando chuvas. O dia estava do jeito que eu gosto. Eu estava do jeito que gosto: livre, sozinha em casa.  E eu, que sempre gostei de ser livre, hoje estou presa em casa, assumindo o papel (não por escolha) de "pet sitter". Minha caçula foi prestar o Enem, meu marido foi dar plantão no trabalho. Oba, vou passar o dia livre, ficar de camisola, de calcinha e sutiã, ficar pelada, ver tv, comer bobagem, dar uma volta no shopping aqui pertinho, mas...  

Não queríamos ter animais em casa porque, eu e meu marido, sempre primamos pela nossa liberdade. Gostamos de ir, onde e quando, nos der na telha, fecharmos a porta e voltarmos só quando Deus sabe. Sempre fomos muito aventureiros - desde quando namorávamos. Com o nascimento das filhas não deixamos de viajar, arrumava tudo num vapt-vupt - levava até penico porque a filha maior era (ainda é) muito "vomitona"" quando anda de carro. Hoje a cachorrinha da minha filha caçula herdou esse hábito. Ô sofrimento!

Daí toca o telefone - era uma amiga querida que não vejo há tempos querendo conversar. E lá vem a cachorrinha atrás abanando o rabinho pensando que a conversa era para ela. Viro de um lado e ela pula no meu colo, viro de outro ela arranha minhas pernas. Tranco a porta do quarto e ela late, arranha a porta. Apresso-me em despedir da amiga querida. Ô inferno. Não tenho sossego, saio esbravejando. 

Daí vou descarregar umas fotos no computador, organizar, arquivar... lá vem ela. Deita debaixo da mesa e dorme. Até aí nada mau. Quero sossego.
Termino o trabalho e saio de ponta de pé para não acordar a cria. Vou para a área de serviço organizar umas bagunças. Lá vem ela. Deita dentro da sua "casinha" e fica ali, meio com um olho aberto me vigiando. Não gosto disso.
Ando para lá, ando para cá, puxo a casinha para lá, para cá até ela se irritar e começar a latir. Prendo-a. Não quero mais companhia. E olha o que ela faz por birra:
Todas as portas estão nesse estado:

Então resolvo molhar as plantas - já que não vai chover coisa nenhuma. O dia mudou como mudou meu humor. Lá vem ela se lambuzar na água dos vasos. Ô criatura!
Se toca o interfone, lá vai ela 
Descuido um segundo e lá vai ela pegar minhas costuras. Ah, não! Tudo tem que ser escondido, recolhido, guardado...
Epa, troca de turno:
Tô livre? posso sair? Só que sair com o marido como gostaria, nem pensar. Onde vamos deixar a bichinha?
Ai, eu não entendo certas escolhas. Abafa. E se você fizer um comentário dizendo para eu relaxar, que logo, logo vou me apaixonar, desista. Só tenho animal por causa da filha. Sofria vê-la correr atrás dos cachorros vira-latas, implorando por um animalzinho. 
Amar os filhos é sofrer num paraíso. Que paraíso?
O dia está mesmo abafado. Talvez chova.

7 de novembro de 2014

160

160 alunas já passaram por aqui para aprender costuras. Algumas apenas passaram - outras ficaram. Ficaram com o título de "costureira" pela vida à fora. Lembro o nome de todas, visualizo seus rostos quando estou pensando nelas, no carro, em casa cozinhando, tomando banho, deitada na cama...

Todos os dias tenho motivos e material para um novo post, contar histórias, mostrar trabalhos. O tempo é curto. Ando cansada. Volto outro dia, com mais palavras. Hoje, sexta-feira, depois da oficina do papai noel estou assim, ó:
E, antes de me despedir, deixo algumas fotos de trabalhos de alunas. Sinto tanto, mas tanto, não ter tempo de fotografar os tantos trabalhos que fazem aqui ou em casa. Orgulhosas são essas meninas que realizam seus sonhos - algumas não tão meninas!


















Tenham um ótimo final de semana!