Cursos Belo Horizonte: e-mail para helenacompagno@hotmail.com ou acesse na janelinha à direita

3 de janeiro de 2017

Jogo americano na mesa redonda

Antes de sair de férias fiz 3 jogos americanos (6 lugares) para usar na mesa retangular. Até então só usava esses jogos em mesas retangulares ou quadradas. 
Mas resolvi servir um café na cozinha da churrasqueira, onde a mesa é redonda. E aí? Usei-os cruzados e gostei bastante do resultado. Sim, é possível!
 Cada um ficou com 1,50 de comprimento x 53 de largura. O tecido tinha quase 1.60 de largura. Como notaram, não sobrou tecido para a caída. Não vi problema nisso.
Escolhi azul tiffany para combinar com as xícaras também azuis.

Para facilitar o feitio, usei o mesmo tecido para o verso. Muito fácil e prático. Comprei 3,20 aproximadamente metros de tricoline de boa qualidade, pois a peça pede um tecido melhor, mais firme.

Dividi o tecido em 3 partes. Cada parte teve 1.50 comprimento x 1.06 de largura. Dobrei pela largura, costurando apenas de um lado e nas duas extremidades. Tudo pelo avesso. Resultado: 1.50x50 larg

Deixei um espaço (3 dedos) sem costura em uma das extremidades para virar pelo direito depois de pronto.

Esse tecido é maravilhoso, tem um caimento ótimo, macio. Comprei na Loja do Tião (R São Paulo, Belo Horizonte, a R$ 26 o metro).
Nesse dia usei guardanapos com rendinhas nas bordas, pois o café era para a minha filha que faria 21 anos. Bati bastante a cabeça para costurar as rendinhas nas bordas dos cantos mitrados, pois aprendi sozinha, fazendo do meu jeito, descobrindo uma forma fácil para ensinar, sem sofrimento. Querem aprender, entrem em contato comigo para marcar uma aula. A aula é individual. Vou explicar nos mínimos detalhes só para você!
Valeu o investimento no tecido, pois usei os mesmos jogos na Noite do Natal, em casa. Acrescentei um forrinho com motivos natalinos, guardanapos vermelhos e um mimo que fiz para os convidados. Outra proposta. Sei que vou usar ainda em outros momentos. Há coisas que o dinheiro não compra!
E a sogra sempre repete a mesma coisa: "e lembra que você não sabia nem passar as linhas na máquina? e hoje, puxa..." Eu adoro ouvir isso! Adoro ver a carinha dela apertar a boquinha murcha e exclamar esse "puxa"!

 Puxa, como sou feliz sendo costureira!

31 de dezembro de 2016

Vagas no curso costuras 2017

Falta só um pouquinho para o ano terminar. Falta só um pouquinho para preencher as vagas do curso de costuras iniciante, com início na primeira semana de fevereiro 2017. Até o momento a lista encontra-se assim, com algumas na lista de espera por horários que já estão preenchidos.

Segunda-feira
08:00 às 10:00 - Ocupado
10:30 às 12:30 - Ocupado
13:30 às 15:30 - Ocupado
16:00 às 18:00 - livre
Terça-feira
08:00 às 10:00 - Ocupado
10:30 às 12:30 - Ocupado
13:30 às 15:30 - Ocupado
16:00 às 18:00 - Ocupado 

Quarta-feira
08:00 às 10:00 - Ocupado
10:30 às 12:30 - Ocupado
13:30 às 15:30 - Ocupado
16:00 às 18:00 - Ocupado
Quinta-feira
08:00 às 10:00 - Ocupado
10:30 às 12:30 - Pcupado
13:30 às 15:30 - livre
16:00 às 18:00 - Ocupado

Sexta-feira
08:00 às 10:00 - Ocupado
10:30 às 12:30 - Ocupado
============================
Tarde: não há aulas

 Sábado - aulas avulsas têm o valor acrescido das demais

  • É dedicado às oficinas ou aulas avulsas, agendadas com antecedência - que podem ser individuais ou em grupos de até 3

28 de dezembro de 2016

Natal 2016

Eu Gosto de Natal e seus rituais...

...nos mercados anunciando seus produtos ao som dos jingle bells...Aqui o clima era encantado, com cheiro de frutas frescas, cravo, canela, mel. Cheiro de Natal!

E flores frescas

E a banca do japonês que entende pouco português! São Paulo tem cheiro de casa... 
... tem cheiro de Natal!
Desde criança, vivendo em São Paulo, esperava, ansiosa, chegar dezembro. Éramos muito pobres. Sim, nos anos 70 quem era pobre era POBRE mesmo - diferente de hoje que o pobre tem ajuda do governo, isenção em contas de consumo, merenda escolar, bolsa-família; trabalhadores têm vale-transporte e alimentação. Naquela época não tinha nada disso. Meu pai e meus irmãos mais velhos trabalhavam arduamente para sustentar a numerosa família. E éramos todos muito unidos. Éramos felizes em nossa simplicidade. 
   
Havia espírito de Natal na minha casa... Meu pai sempre pintava a casa quando entrava dezembro...

Eu pintei vasos!
.. Meu pai colhia galhos secos no mato.- eu comprei galhos na 25 de Março!
Minha mãe enrolava algodão nos galhos e pendurava aquelas bolinhas coloridas, frágeis, levinhas, que bastava pegar com mais força para que estourasse entre os dedos, fazendo doloridos cortes. Elas vinham embaladas numa caixinha de papelão, com divisórias. Essa caixa era guardada durante o ano inteiro. Só em meados de dezembro a minha mãe abria esse tesouro. Eu arregalava os olhos e o coração batia mais forte:

 - Chegou o Natal!
"Dezembro vem o Natal... os presentes mais bonitos, as lembranças mais humanas..." A propaganda do Mappin, anunciando que ficaria aberto até a meia-noite. No início dos anos 70 começaram as vinhetas da Rede Globo: Hoje, é um novo dia de um novo tempo que começou nesses novos dias, mais alegrias serão de todos..."

Então era Natal!
O presépio era montado, o enfeite da porta, a conversa entre as irmãs mais velhas e a mãe sobre o almoço de Natal. Não era comum comemorarmos à noite, como hoje. Lembro-me que apenas uma vizinha reunia a família para jantar. Eu ficava acordada até tarde ouvido as risadas, o estourar do champagne (Sidra, naturalmente). Durante todo o dia eu sentia o cheiro adocicado vindo da casa da vizinha, um misto de vinho tinto, com canela, com cravo... Cheiro de Natal. Eu amava o Natal. 

Eu guardei essas lembranças
Guardei esses cheiros e esse brilho
Eu guardei o Natal dentro de mim...
...para entregar à minha família

Que eu amo e quero ela sempre perto e mim!!!









As 7 Lições que aprendeu ao costurar

Quem escreve o sábio e belíssimo texto é minha ex-aluna e hoje amiga, Janaína Depiné do Elegante Sempre. Vale a pena ler, AQUI

23 de dezembro de 2016

Pudim de limão sem forno e fogão!

Ontem fiz um pudim de limão fácil, fácil. Só estava minha filha, mas servir na sala, com a mesa arrumada. Ela, como eu, aprecia uma mesa bonita.
Na mesa, um convidado ilustre!

Ingredientes:
1 caixinha de maria-mole
1 xícara (chá) e água fervente
1 lata de leite condensado
1 lata de creme de leite (coloquei o soro também), mas acredito que pode usar uma caixinha
1/2 xícara (chá) de suco de limão
raspas de limão

Modo de fazer:
Dissolva o pó para maria-mole com a água fervente. Leve tudo ao liquidificador (mesmo as raspas). Bata bastante.

Coloquei raspas de limão no fundo da forma para pudim (usei a forma molhada). Despejei tudo e levei à geladeira por 3 horas. Desenformei passando a fava em toda a volta da forma.



21 de dezembro de 2016

Cortina para a casinha paulista

Já em São Paulo cuidando da filha e da casinha paulista. Quando cheguei chovia, ventava e fazia frio. Levo sempre uma pashmina que é leve, macia, de lã fininha e bem comprida. Foi o que me salvou até chegar em casa.
 
Um dia faz sol, outro chove, faz calor... outro esfria. É assim que eu gosto. Já usei bota, casaco, guarda-chuva e sombrinha. Cada dia faço uma coisa (ou várias). Meu espírito inquieto e criativo não descansa. Estou sempre procurando alguma coisa para fazer.
Hoje fiz cortinhas para a sala. Desde que nos mudamos de São Paulo o apartamento ficou alugado. Agora que o inquilino saiu, minha filha se mudou para cá, embora bem mais distante da faculdade. Arranquei o insulfilm das janelas que alguém instalou e não removeu. Não gosto. Arranquei puxando com força. Os vidros ficaram grudentos de cola. Estou, aos poucos, removendo a cola. Eu gosto de tudo claro, mas com cortinas leves, de fácil manutenção. Fiz essa de uma maneira absurdamente fácil. Não pesquisei, fiz da minha cabeça. Comprei 11 metros de voil (usei 10.68). Cada metro com 3 de larg. Usei duas alturas e fiz dupla, ou seja, 5.34,mt para cada lado dobradas ao meio, de modo que cada parte teve 2,67 na frente e 2,67 no forro - a medida do pé direito. A costura ficou na parte do varão, escondida dentro da sanca de gesso. Não foi preciso fazer barra, pois o forro é a continuidade da parte da frente. Achei mais fácil fazer o forro do mesmo tecido, pois o voil é um tecido barato (paguei R$ 8,90 o metro. Total: R$ 97,90. O varão eu já tinha. 

Não fiz passo a passo, mas olhando as fotos dá para entender como fiz. Isto é, se você tem uma certa noção de costuras e medidas.

Aqui o varão simples já instalado. As fotos estão péssimas porque tirei no celular e não sei regular muito bem.
 Aqui a cortina já pendurada. Na verdade ela fica estendida em cima do varão. A costura fica em cima do varão.
 Aqui a barra. Nas laterais ficam as ourelas, sem tirar. A cortina é bem volumosa e não se percebe as ourelas. 
Vejam melhor como dá um bom caimento, sem barra. Adorei essa descoberta. É uma cortina para quebrar um galho. Futuramente vou mandar fazer com pessoa especializada. Acho difícil fazer cortina. Os panos são todos molengas e finos. 
Posso amarrar as duas partes...
Ou deixar solta, quebrando a luz
 E aqui a minha filha, orgulhosa da mamãe.
Trabalhei o dia inteiro; costurei, pintei vaso, lavei louças... Marido chega na sexta e que quero deixar tudo organizado para passarmos o Natal juntos. Gosto de vir na frente, sozinha, ficar um tempo sem a cachorra, sem a bagunça da filha caçula. Gosto de estar sozinha, mas não gosto de ser sozinha.
Até o final das férias ainda quero dar um jeito nessas paredes sem graça e peladas.
 A filha admirando. Tudo o que eu faço ela acha lindo, diferente da açula que só balança a cabeça e diz: "nada a ver". Eu vejo. Vejo uma pessoa feliz, animada, valorizando os pequenos feitios, as pequenas coisas, como uma cortina nova, um vasinho recém pintado.
Essa sou eu!


6 de dezembro de 2016

Drinques - ponche

Ponche é um drinque fácil de preparar e que agrada a todos, principalmente mulheres. Combina até num chá com amigas à tarde. Mas capriche ao servir. Sirva em boa apresentação em jarra ou em poncheira.

 Receita do ponche:
3 copos (americanos) de vinho frizante (usei rosê)
3 copos de guaraná antártica
1/4 de (de um copo americano) de vodka (se preferir mais forte)
Frutas cortadas em pedacinhos (o que tinha: ameixa, kiwi, maça, uva sem semente e abacaxi), mas pode usar a fruta que quiser.
Misture tudo e sirva.

Prepare uns 5 minutos antes das visitas chegarem. Para acompanhar servir castanhas torradas, espetinho de queijo e suco de abacaxi.