Cursos Belo Horizonte: e-mail para helenacompagno@hotmail.com ou acesse na janelinha à direita

21 de novembro de 2017

Camisa feminina

Ando costurando roupas para vestir a minha pessoa, pois a minha casa já anda muito bem vestida! 
Terminei mais uma roupa

Comprei tricolines 100% algodão em diversas cores para fazer camisas leves e bem femininas. Fiz manga 3/4 porque, na verdade, o tecido fora pouco! A intenção era fazer manga longa para ser usada dobrada, dando um ar mais jovial, despojado e moderno. Mas mesmo com as mangas menores continuei dobrando, assim:
Parece mas não é. Parece que ela tem fechamento em botões
E para não ter que ficar abotoando e desabotoandos, passei uma costura em toda a frente até a altura do seio
Mas continuei com os botões até o colarinho, dando a ideia de estar abertos, mostrando um colar ou gargantilha
Sua modelagem é toda estruturada, como faço quase sempre para dar uma ilusão de seio menor. O recorte inicia-se no meio da manga da frente, desce para o seio e vai até a barra. 
Nas costas uso o mesmo processo, afundando menos porque tenho costas fundas. Estão vendo, sou toda defeituosa. Acho meus ombros meio caidinhos. Mas estou longe de ser uma pessoa complexada. Sou é muito orgulhosa do corpo que Deus me deu, onde tudo funciona, onde gerei duas vidas saudáveis. Obrigada, Deus. Tô reclamando não, viu? Mas bem que merecia um pouquinho mais aqui e outro pouquinho menos ali.

Voltado aos ombros, fiz um estilo meio militar, com essas tiras presas com botões. Aqui também não fiz casas. Aquelas compradas costumam ter, mas para quê? não vou abrir mesmo! Abrir para quê?
Na hora de fazer a barra, passo ponto zig-zag ou overlock, dobro uma vez e passo uma costura. Não gosto de fazer aquela dobra duas vezes - acho que fica grosso. 
A calça branca, num brim de algodão, foi comprada há muito tempo na Renner. E por ter um pouco de elastano em sua composição, vem suportando uns quilinhos a mais, sempre que descuido das caminhadas. Mas uma calça branca, assim como uma preta jamais deve faltar em qualquer guarda roupa feminino, concordam comigo? 

19 de novembro de 2017

Adepta do DIY - Faça você mesmo

Cada vez mais me torno adepta do DIY (faça você mesmo). Como disse a Nina, minha amiga lá do Porto:  "Helena, poderia muito bem construir casas!"

Mas enquanto não construo casas, ando construindo roupas para eu mesma usar nesse eterno verão brasileiro.

Estou montando outro blog (apenas como hobbie), onde vou falar, mostrar e dar dicas de como fazer roupas fáceis e possíveis, com tecidos 100% algodão - roupas para vestir corpos normais que andam pelas ruas, não aqueles das passarelas que querem causar espanto!

Vejo tanta reclamação de gente que diz "ah, as confecções não estão interessadas em fazer roupas para pessoas acima de 50, 60, 70 anos..." As revistas querem vender beleza, ilusão. Vamos ser realistas. Pô, vamos aprender a costurar suas próprias roupas, mulher!!!!

Ontem dei uma passada no shopping. E o que vejo? vitrines anunciando "nova coleção primavera-verão". Ah, penso encontrar vestidinhos soltos, tecidos levinhos de algodão, mangas curtas, calças larguinhas, blusas soltinhas... Nada. Só vejo aquela padronização chinesa - uniformes para ambiente corporativo,  composto de blusa manga longa, calça e vestidos - todos muito fechados. Os tecidos, TODOS sintéticos, que esquentam, que suam dando mau cheiro nas axilas, nas junções dos membros (não vou entrar em detalhes, por favor). Você acaba de tomar banho, desce para a garagem, manobra o carro e já suou! Coisas da idade? Não, são esses tecidos desgraçados e vagabundos. Isso quando você encontra uma roupa que caiba em seu corpo, pois são roupas feitas em série para vestir não sei quais corpos - talvez os asiáticos que não têm bunda, nem peito e são pequenos.

Estou falando de roupas que vendem em lojas de departamento onde a grande maioria pode comprar. Quer dizer, poder não pode, mas parcela em 8 vezes no cartão. No terceiro mês sua roupa já foi para o lixo. Nas lojas de famosas marcas você até encontra alguma coisinha ajustável ao seu corpo, mas bah!!! qual a parcela do povo que pode comprar uma calça - uma única calça - por mil reais, um vestido por 1.300,00? Lojas de departamento como a Zara, onde você até encontra peças mais bem acabadas e bonitas, quando viro a etiqueta para olhar o preço... Estou falando da Zara Brasileira, pois sei que lá na Europa, principalmente Espanha e Portugal a Zara tem preços de lojas de departamento mesmo. Aqui ela se acha loja de grife. Atendimento péssimo, você fica um tempão chamando alguém para identificar um preço e ninguém te dá atenção. 

Obs.: Noto que sempre que faço uma crítica de alguma loja ou produto, sempre têm umas pessoas que me escrevem criticando porque pensam o contrário. Recebi uma ofensa de uma pessoa só porque falei que a máquina Bella da Elgin era uma bela porcaria (e é mesmo!).  Já vou adiantar a sua crítica: 
És dona da Zara, minha senhora? Então manda lá o povo me atender bem, por favor! 

Oh, que vergonha senhores empresários do ramo têxtil! O Brasil é um dos maiores produtores de algodão. E por que tudo tão sintético? 

Então eu vou na loja, compro meus tecidos 100% algodão. Volto para casa na maior felicidade do mundo, me debruço sobre a mesa, pego um vestido, coloco em cima do papel e vou riscando o contorno. Foi assim que fiz esse vestido em sarja preta,seguindo o mesmo padrão do outro que já havia feito anos atrás. (foto no final)
A cor não é muito favorável ao verão, mas o tecido é 100% algodão, uma sarja. Poderia ser linho? CLARO!!! Mas... o linho amassa muito e o preço está lá nas alturas. Gostava de usar linho Braspérolas, mas até onde sei a fábrica fechou em 2011. Dei uma consultada no google e vi vendendo no Mercado Livre. Vou confiar nada!!! Estou amando sarja 100% algodão, preço acessível, fácil de encontrar. A COS, que pertence ao grupo H&M, em Paris, tem muitos vestidos feitos em sarja. Oh, e por que eu, tão humildezinha e prendada não posso fazer um pretinho básico, de mangas cavas, com a parte de cima  no manequim 46, na parte de baixo 42? Abro um parêntese: (vou me revoltar, me sentir excluída, meter um processo nas confecções alegando preconceito com aquelas que têm seios grandes. É, hoje em dia tudo pode gerar processo por preconceito - vou processar meus pais que me fizeram assim, ou a Deus!) Bem, prosseguimos... 

Por isso eu mesma costuro minhas próprias roupas e, quando tenho alguma dúvida consulto à universitária. Já falei aqui inúmeras vezes que a filha caçula faz faculdade de moda e a danadinha está ficando craque nas modelagens. Acredito que vai seguir o ramo de consultoria em moda - moda para corpos "fora do padrão" estabelecido para as revistas de moda!

Dia desses saiu comigo para me orientar sobre a paleta de cores que combina com meu tom de pele. Eu, teimosa, capricorniana: "moça, corte 1.30 dessa sarja, por favor?" Mas, mãe, essa cor não consta da sua paleta de cores...

Ela diz que meu corpo é um triângulo invertido, que tenho que usar roupas que realçam a parte de baixo, cores que iluminam o rosto, usar brincos grandes para dar um ar jovial. Mas sou discreta e refiro,quase sempre as pérolas, o corte do cabelo chanel, os sapatos também ao estilo chanel, como esse que estou usando. Bolsas grandes, echarpes, cachecóis, pashminas...Tudo isso eu quero ensinar lá no novo blogue porque às vezes, cá entre nós, fico meio entediada de sempre ficar brincando de casinha, embora amo costurar artigos para a casa.
Se você que está aí me lendo, aceite meu conselho, minha amiga: faça um curso de corte e costura!!!! O Senai costuma ter ótimos cursos e muitas das vezes gratuitos. Na net indico o curso on-line da Diana, do Escola de Costurar, AQUI, que tem ótima didática e muito simpática. Adoro seus vídeos!

Esse fiz em linho, bem fresquinho.O mais difícil foi encontrar os botões em madreperóla do tamanho que queria. Tive que fazer uma encomenda na loja de armarinhos que alega que acaba porque vendem muito. Oras, se vende muito, compra um estoque grande, meu senhor!
 Mas agora não dependo mais de ninguém. Eu mesma forro os meus botões. Tô falando, cada vez mais adepta do DIY - Faça você mesmo, pois não


8 de novembro de 2017

Comidinhas para presentear

Gosto muito de presentear com comidas, principalmente feitas em casa. Mas se não for, coloque seu toque, no embrulho ou mesmo num cartãozinho feito à mão.

Tecidos são ótimos para embalar esse tipo de presente. 
Semana passada fui visitar uma ex-aluna que hoje se tornou amiga. Levei um bolo de banana para o nosso café da tarde. A receita dele está AQUI.

Depois de frio embalei num saquinho plástico
Depois embrulhei no tecido e novamente em outro saquinho plástico. Fiz um laço com fita natalina. 
Já pensou ganhar um dinheirinho extra fazendo bolos natalinos? A net está cheia de boas receitas. 
Não esqueça de acrescentar um cartãozinho, uma etiqueta ou uma tag
Mesmo que a sua intenção não seja vender, fazendo para presente já é uma economia enorme. 

Fui recebida assim, com a mesa posta, carinhosamente preparada por ela. 
Depois mostro mais desse dia. Até breve.

6 de novembro de 2017

Vestido rosa

A cor é rosa antigo. Um rosa mais claro não cairia bem para a minha faixa etária. Acredito eu, sei lá. 
Usando o mesmo molde do vestido azul marinho e branco. Apenas prolonguei as mangas para os dias mais frescos.Também fiz pences no seio e nas costas para deixá-lo mais estruturado, porém reto. 
A cor do lenço foi uma feliz coincidência



 A filha caçula não é boa com fotos. Quando peço para tirar reclama que eu devia aprender a tirar self do corpo inteiro. Já tentei, mas não deu certo.
  
 Será que vai chover?
Hoje estou tão feliz! Falo sempre para o marido que sou tão simplezinha, que qualquer coisinha me deixa feliz.. Ele vira os olhos pra cima e diz "ah, tá."

5 de novembro de 2017

Vestido azul e branco

Adoro essas duas cores juntas. Semana passada fiz esse vestido bem básico. O que ele tem de diferente são os dois bolsões em azul e branco. Usei 1.50 de sarja azul marinho 100% algodão + um retalho da sarja listrada de azul e branca para os bolsos.
Deixei os dois tecidos de molho de um dia para o outro em baldes separados, pois o azul poderia soltar muita tinta. Mas não soltou nada, nada. Comprei os dois na Rua dos Goitacazes, na loja Tear Têxtil (não abre aos sábados).
Dobrei o tecido azul pelo avesso em 35 cm de largura partindo da ourela, pois iria precisar de 70 cm para a largura da frente do vestido.
O molde poderá ser feito através de uma simples camiseta - apenas prolongue o seu comprimento. Posicionei o molde rente à dobra e risquei em toda a volta. Já deixo no molde a margem de costura.
 Cortei a frente e depois as costas
Cortei as mangas, observando a parte da frente e das costas das mangas, pois a parte da frente é mais cavada


Iniciei pregando os bolsos na parte da frente. Já ensinei AQUI como costuro bolsos.

Depois iniciei a costura do vestido, fechando os ombros. Depois costurei as mangas nas cavas e fechei as laterais. Fiz o acabamento da gola com viés do próprio tecido. Já mostrei AQUI como faço. Marquei a barra e ficou pronto.

A inspiração veio desse blog AQUI, com algumas modificações, pois na minha versão fiz mangas menores devido ao nosso verão.


28 de outubro de 2017

Sexta-feira de café com costuras

Pela manhã fizemos ovelhas. Lindas ovelhinhas brancas
Cada uma foi feita por uma pessoa. Portanto, cada uma delas tem um toque diferente
Fiz junto com duas ex-alunas, a Fernanda e a Adriana, que já se tornaram amigas

Delas ganhei pano de prato com barrado em patchwork, lindamente embalado para presente...

... e bolo de banana, farto em castanhas do Pará. Delícia
Para elas montei uma mesa de café. Fiz torta de frango com catupiry na massa folhada e pão de queijo de forminhas. Servi suco de maracujá, leite e café.
 Deixamos a mesa de guloseimas e voltamos para as costuras. Cachorrinha se posiciona debaixo da mesa, na esperança de cair alguma coisinha lá de cima.
Ficou lá, vigiando
 Eu aqui, vigiando o horário, pois à tarde darei o intensivo de Natal. Mais costuras e gordices. Aguardem no próximo post.

22 de outubro de 2017

Primavera, meu amor

Ontem à noite caiu uma chuva fresca e mansa aqui em Belo Horizonte. Hoje (domingo), o dia amanhece com ar tristonho. Não vejo tristeza nesse cenário. Vejo a chuva trazendo alegrias
Será que vai chover novamente? Arrisco sair de casa a pé, sozinha, enquanto a família ainda dorme. 

Enquanto caminho, vou sentindo o ventinho fresco no rosto. Sinto o cheiro adocicado das murtas que já estão todas em flor. 
Alegre, constato que o seu cheiro não me causa mais embrulho no estômago, como no passado. 

Naquela ocasião havíamos nos mudado de cidade. Ainda me recuperava de um trauma hospitalar por conta de uma gravidez nas trompas que quase me levou à morte por hemorragias internas. Foi muito sofrido. Era primavera e as murtas estavam em flor por toda a cidade.

Foi naquele tempo que comecei a sentir alguns desconfortos da alma, uma insegurança, um medo que vinha de repente. Um medo de morte!

Não procurei ajuda psicológica, não tomei remédios. Não fui porque sabia que, se fosse, voltaria com receita de tranquilizantes. Não queria tomar remédios. E nunca tomei. São acontecimentos da vida e não acredito que a solução para tudo seja remédios. Depois que deixava as filhas na escola, ia me distrair com as costuras. Fiz curso de Ikebana, de pintura em madeira, em cerâmica. Fui me ocupar. E assim segui a minha vida. E sigo até hoje, descobrindo novas alegrias.

De repente não sinto mais enjoos com o cheiro adocicado das murtas. De repente sou feliz
Olha as primeiras mangas da estação!
O mamoeiro carregado de frutos. Como é belo!
Goiabeira em flor, se preparando para parir
Você gosta de amora? Nossa, vou contar pro seu pai que você namora!!! Hoje estou tão feliz...
As espirradeiras ainda em floras enfeitam o muro de uma casa
Dois pés de bougainvilles de cores diferentes convivem em harmonia
 Semana passada ainda restavam alguns ipês, com um céu azul de anil, vejam
 
Sibipirunas também em flor...

È primaveeeeera... Ti amuuuuu, meu amoooor