Cursos Belo Horizonte: e-mail para helenacompagno@hotmail.com ou acesse na janelinha à direita

8 de novembro de 2014

Amar é sofrer num paraíso?

OBS: Antes de iniciar, faço logo uma observação: Não é que eu não goste de animais. Não é que sou malvada. Não é que sou egoísta. É que trabalho das 8 às 18. Meu tempo livre comigo é pouco - preciso de mim! Quando estou dando aulas não acho certo deixar a cachorrinha entre as alunas, latindo, lambendo pernas - elas pagam pela aula individual, querem atenção. A cachorrinha não quer ficar sozinha. Sofro com isso. Por isso o desabafo que fiz sábado. Então vamos ao texto. Mas, por favor, não me julguem, tenho direito de ser o que sou!

Hoje o dia amanheceu nublado, escuro, anunciando chuvas. O dia estava do jeito que eu gosto. Eu estava do jeito que gosto: livre, sozinha em casa.  E eu, que sempre gostei de ser livre, hoje estou presa em casa, assumindo o papel (não por escolha) de "pet sitter". Minha caçula foi prestar o Enem, meu marido foi dar plantão no trabalho. Oba, vou passar o dia livre, ficar de camisola, de calcinha e sutiã, ficar pelada, ver tv, comer bobagem, dar uma volta no shopping aqui pertinho, mas...  

Não queríamos ter animais em casa porque, eu e meu marido, sempre primamos pela nossa liberdade. Gostamos de ir, onde e quando, nos der na telha, fecharmos a porta e voltarmos só quando Deus sabe. Sempre fomos muito aventureiros - desde quando namorávamos. Com o nascimento das filhas não deixamos de viajar, arrumava tudo num vapt-vupt - levava até penico porque a filha maior era (ainda é) muito "vomitona"" quando anda de carro. Hoje a cachorrinha da minha filha caçula herdou esse hábito. Ô sofrimento!

Daí toca o telefone - era uma amiga querida que não vejo há tempos querendo conversar. E lá vem a cachorrinha atrás abanando o rabinho pensando que a conversa era para ela. Viro de um lado e ela pula no meu colo, viro de outro ela arranha minhas pernas. Tranco a porta do quarto e ela late, arranha a porta. Apresso-me em despedir da amiga querida. Ô inferno. Não tenho sossego, saio esbravejando. 

Daí vou descarregar umas fotos no computador, organizar, arquivar... lá vem ela. Deita debaixo da mesa e dorme. Até aí nada mau. Quero sossego.
Termino o trabalho e saio de ponta de pé para não acordar a cria. Vou para a área de serviço organizar umas bagunças. Lá vem ela. Deita dentro da sua "casinha" e fica ali, meio com um olho aberto me vigiando. Não gosto disso.
Ando para lá, ando para cá, puxo a casinha para lá, para cá até ela se irritar e começar a latir. Prendo-a. Não quero mais companhia. E olha o que ela faz por birra:
Todas as portas estão nesse estado:

Então resolvo molhar as plantas - já que não vai chover coisa nenhuma. O dia mudou como mudou meu humor. Lá vem ela se lambuzar na água dos vasos. Ô criatura!
Se toca o interfone, lá vai ela 
Descuido um segundo e lá vai ela pegar minhas costuras. Ah, não! Tudo tem que ser escondido, recolhido, guardado...
Epa, troca de turno:
Tô livre? posso sair? Só que sair com o marido como gostaria, nem pensar. Onde vamos deixar a bichinha?
Ai, eu não entendo certas escolhas. Abafa. E se você fizer um comentário dizendo para eu relaxar, que logo, logo vou me apaixonar, desista. Só tenho animal por causa da filha. Sofria vê-la correr atrás dos cachorros vira-latas, implorando por um animalzinho. 
Amar os filhos é sofrer num paraíso. Que paraíso?
O dia está mesmo abafado. Talvez chova.

17 comentários:

  1. Oi Helena, tudo bom?

    Sou obrigada a falar: RELAXA MULHER!!!, SE TEM UM SER QUE TE AMA INCONDICIONALMENTE É ESTE BICHINHO!!!, ela daria a vida por você, tenha a certeza disto!
    Ela tenta de todas as formar de agradar, exagera, erra, se arrasta, fica até chata, mas tudo é ... PARA CHAMAR A SUA ATENÇÃO E DEMONSTRAR O QUANTO TE AMA!!!

    Ela tem uma paciência infindável com vc., em tentar te conquistar, então ...abaixa a guarda e vai ver que o amor dela é puro, tão puro como de uma mãe por um filho!

    Tenho muitos destes seres abençoados em casa, Graças a Deus sou abençoada pela companhia deles!

    Beijos e ótimo final de semana a vcs.


    Audeni

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Audeni, sempre digo para minha filha: o dia que ninguém mais me amar, quem sabe eu vá precisar de um bichinho para me amar.
      É muito trabalho, muito stress, principalmente para quem trabalha o dia inteiro, gerencia uma casa, compras, filhos, marido...
      Beijos

      Excluir
    2. Verdade Audeni. Eles são verdadeiros... ;)

      Excluir
  2. Temos escritora! Belíssimo texto, quase fotográfico. Adorei o relato!!
    Adorei mais ainda o teu comentário, tão, mas mesmo tão querido!
    Eu sei, de um saber inquestionável, que seríamos muito amigas, muito próximas, muito cúmplices.
    Bom domingo, linda!
    Aqui chove, chove muito.
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. oi Helena é mesmo difícil com cachorros ,
    eu tenho gatos ,5 ,haha, amo eles de paixão eles
    são bem mais independentes se acostumam melhor com a rotina do que cachorros ...
    bjão

    Mônica

    ResponderExcluir
  4. Oi Helena.

    Nossa que pena você não gostar de bichos...talvez ela ficasse na boa se você tivesse dado um pouco de atenção...

    Beijos, Renata
    palpitandoemtudo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Renata, para eu dar mais atenção ao cachorro, preciso esquecer de mim, pois essa cachorrinha quer ficar grudada o tempo todo. Como eu trabalho muito, anseio por um pouco de sossego. Não se trata de gostar ou não. Não foi minha escolha tê-la, não teria, mas o que a gente não faz para os filhos, não é?

      Excluir
  5. Helena, bom dia! Em primeiro lugar dizer que aprecio muito seu trabalho, kkk... e até entendo seu problema com a cachorra. Como diz uma amiga minha, criança é igual cachorro: ou vc gosta ou não. Não basta tolerar, tem que gostar. Quando vc gosta vc não sente apenas o trabalho que dá, vc sente o trabalho pequeno em vista do prazer. Eu pinto, costuro, faço coisas da casa, tudo com uma cachorra golden e uma vira no pé. Vc não tem que desistir de vc... vc faz as coisas com ela ao lado, simples. Ela pega a costura pq quer chamar sua atenção; em um tempo ela acostuma... veja os vídeos da Ana Cosentino em que a Belinha está do lado da placa de corte... outra coisa; nada impede que vc alimente a bichinha e vá cutir seu domingão com o marido. Todos os óbices que vc aponta na verdade são justificativas suas pra não ter o bicho (no que vc está certa, não gosta, não tenha, kkk)... mas eu sou do time que gosta e acha que a vida fica melhor com eles. Ela brinca e pula pq quer uma migalha de atenção... se ela se sente segura do amor em um instante ela cansa... e vcs seriam eternas companheiras de tardes de chá com filme ou tardes de costura...Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Adriana, agradeço a sua preocupação com a cachorrinha. Quem dera eu pudesse ter tardes de chá com filme e a cachorrinha ao lado, bonitinha, sentada no meu pé. Dou aulas de costuras das 8 às 18 porque preciso e acho desagradável dividir o tempo das alunas com a cachorrinha, mesmo porque elas pagam para aprender costuras - algumas não gostam ou têm medo de cachorro. Os raros momentos que tenho para cuidar de mim não quero dividir com animais, que não foi a minha opção.
      Quem sabe o dia que estiver bem velhinha, sem amigos, sem amor dos filhos e marido eu venha a ter um animalzinho para me completar.
      Beijos

      Excluir
    2. Adotei 3 cachorros. Quando vou viajar levo o mais velho que é muito apegado a mim, a pequena fica com a minha irmã(que adora animais) e o grandão fica em casa(minha cunhada coloca comida e água pra ele). Não consigo imaginar minha vida sem eles.

      Excluir
    3. Oi Grauben, que ótimo que vive bem e feliz com seus pets e ótimo ainda que mora perto da família que possa ficar com eles quando viaja. Eu preciso deixar no hotelzinho, pois moro muito longe dos meus familiares.
      Beijos

      Excluir
  6. Rose deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Amar é sofrer num paraíso?":

    Helena pensei que só eu pensava assim, eu tb trabalho muito e no meu mundo não tem lugar para cachorro, as pessoas me achan estranha por isso, mas entendo quando vc diz que precisa de cuidar de vc é assim que penso.as vezes precisamos desse tempo só, para pensar ,sonhar ,dormir enfim fazer o que quisermos. te entendo e te admiro por expressar sua opinião. Bjs

    ResponderExcluir
  7. Helena

    Que sina!! Eu ´não tenho cachorro, nem gato por opção minha e do maridão justamente para termos nossa liberdade de ir e vir, receber pessoas em casa com tranqüilidade.

    Eu gosto de animais mas cuidar deles é outra história, não é mesmo? Já tivemos uma cadelinha linda, meiga, amiga que ficou conosco por 14 anos. Ela viveu enquanto nossos filhos cresciam. Foi ótima companhia, foi muito amada por nós mas era bem assim como você tão bem descreveu neste post. Hoje, ela deixa saudades mas não o suficiente para termos outro cachorro em casa. Não sei se iremos querer mais daqui alguns anos...só o tempo dirá!! mas por enquanto...de jeito nenhum!!

    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Oi Helena, li seu texto e vi um filme da minha vida repassando, rsrs. Eu também tenho um beagle, e mesmo amando animais somente aceitei porque meus filhos e marido queriam. Deixei muito claro que trataria o cachorro com muito amor, mas que não contassem comigo para levar na rua ou limpar o xixi. Eles são apaixonantes, mas dão um trabalho! E essa raça é triste, rsrsrs, o meu praticamente comeu a minha casa. Se servir de consolo, depois de um ano eles ficam mais calamos, o meu dorme o dia todo!
    Beijos.
    Márcia Cavalcanti

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A nossa fez um ano dia 30 de novembro, mas parece que a cada dia se torna mais levada!
      Hoje, aniversário da minha filha, fomos almoçar num lugar onde não podia levar cachorro e foi o maior esquema que tivemos que fazer em casa para que ficasse sozinha. Deixamos a filmadora ligada e durante 2,43 min foi só latido e arranhação da porta. Coitado dos vizinhos!
      Beijos

      Excluir
  9. Não tenho paciência com bicho dentro de casa. viajei e minha filha arrumou um gato de rua. é quietinha, mexe em nada, não mia. já fez 9 anos, quando se for, não entra mais nenhuma pena aqui dentro de casa. atrapalha nas viagens tem sempre que pedir alguém pra tratar. Como diz o ditado. Cada macaco no seu galho. bicho é em fazendas. Não gosto de cachorro por que vive cheirando a gente, late e chega primeiro na porta do que o dono.

    ResponderExcluir

Se não conseguiu deixar um comentário, envie um e-mail:
helenacompagno@hotmail.com