Cursos Belo Horizonte: e-mail para helenacompagno@hotmail.com ou acesse na janelinha à direita

29 de janeiro de 2012

Estou na Revista Aqui Tem de Tudo

Não falei que estava ficando famosa com o meu blog? Ele (e eu) saímos na Revista! A Vera Moraes, do blog Aqui tem de Tudo, lançou uma revista on line linda de morrer. Estou lá na página 19 com o meu passo a passo da saia para cama-box que fiz outro dia, lembram? A revista é repleta de lindas reportagens e fotos de decoração. Minha fotinha está lá, bem nítida, para quem quiser conferir mais de perto.
clique AQUI e leia a revista 
Para quem ainda não conhece o blog da Vera, vai lá conferir que realmente lá TEM DE TUDO 

26 de janeiro de 2012

Uma mesa bem arrumadinha


No Natal fiz muitos jogos americanos. Fiz para presentes, venda ou para a minha casa. Um deles é esse aí, versátil, duas faces, com a estampa das bonequinhas russas que estão em alta.  No recheio pode usar manta ou entretela - gosto mais da entretela.

Na mesa ele fica assim, mesmo que seja numa simples "jantinha" só para nós quatro aqui em casa. Velas no centro da mesa porque dessas eu tenho de montão. Também já ensinei aqui (velas com pavio)

O passo a passo desses jogos americanos é ensinado no cursinho de costuras para iniciantes aqui no ateliê. 
um dia jantamos com ele desse lado

Na frente tecido em tricoline estampado com as bonequinhas. Alegre

Enrolado para presente ele foi assim, elegante. 


23 de janeiro de 2012

Saia para cama-box

Já namorei, namorei... e não comprei porque eu fiz! E vou te ensinar também.
Obs: Este post saiu na Revista on Line, da querida Vera Moraes do blog Aqui tem de tudo. Estou na página 19. Vai lá conferir outros trabalhos. 
 
Sou apaixonada pelos enxovais Trousseau, lindos, delicados, cheirosos e... caríssimos! Mas você também pode ter um mimo daqueles em sua casa, igualzinho! 

Vamos começar fazendo uma saia para o box da cama, bem fácil, reta, sem pregas, sem dobras e sem aquela quantidade enorme de tecido que geralmente se usa para fazer uma. Inventei - não sei se já existe - de fazer apenas o babado (aqui no caso é uma tira) usando velcro para fixar. Na hora da troca é só puxar o babado sem ter que ficar levantando o colchão de cima para "vestir" o seu box. Você pode fazer de diferentes modelos, de pregas, franzidas, retas... 

comprei esse par de velcro (positivo/negativo) contendo 25 metros e paguei R$ 9,80 (baratíssimo) aqui em B. Horizonte, no Mundo dos Armarinhos - R. dos Goitacazes, 1007. Usei apenas 6 metros (do par) - vale a pena comprar o rolão!

o meu box tem 30 cm de altura x 1,95 de compr x 1,60 de larg. Então, num tecido grosso, cortei uma tira com 34 de altura x 6 mts de comprimento (não achei necessário colocar na parte de trás da cabeceira - se quiser que sua saia cubra toda a volta do box, então aumente no comprimento). Fiz as bainhas de cima, de baixo e das laterais. Na bainha de cima costurei a parte mais macia do velcro (lado negativo) rente à borda. Usei zig-zag para ir mais rápido. Se usar a linha da mesma cor nem aparece. Aqui eu usei sobras de colchas rústicas que tenho um montão, novíssimas ainda.

Terminei de costurar o velcro em toda a borda de cima e ficou assim. Levei tudo para o quarto e fui pregar à mão o outro lado do velcro na borda do box. 

Costurei o velcro até na junção dos dois box. Parei e continuei no outro. Não sei o seu, mas o meu é dividido em dois que ficam presos por uma presilha. Achei melhor colocar o velcro separado - vai que um box se solta do outro...





22 de janeiro de 2012

Um retalho, um grampeador e muitas possibilidades


"Vá ferver uma água se não tem nada para fazer". Cansei de ouvir isso dos meus pais quando criança, pois sempre diziam que em mente vazia uma oficina do diabo habita. 

Semana passada eu fui "ferver uma água" enquanto esperava funcionários que viriam consertar o telhado do meu prédio, já que as chuvas por aqui deram uma trégua. Como moro no último andar, tenho a vantagem de não ter ninguém pisando em cima da minha cabeça em plena madrugada, mas tenho a desvantagem de ser premiada com pequeninos aborrecimentos quando alguma telha resolve se deslocar do seu sagrado lugar. Ficamos com algumas infiltrações no teto e em algumas paredes do andar de cima, onde ficava o escritório, ateliê e a parte de lazer da nossa casa. São escolhas que fizemos na vida, não é? 

Inventei de mudar os espaços aqui em cima, começando pelo escritório que na verdade servia apenas para abrigar alguns móveis que o antigo dono deixara e um velho computador que ninguém mais usava, já que o mundo moderno dá a opção de cada um ter o seu próprio, portátil.  Por que não transformar esse espaço numa salinha de tv, já que o mundo moderno também, infelizmente, nos dá a opção de cada filho assistir seus programas favoritos em seus próprios computadores portáteis?

Chamei o marceneiro para remover os armários, a Net para mudar as instalações, o eletricista para mudar tomadas e embutir fios... Na quinta-feira ainda ninguém havia aparecido e como sou desesperada demais, fui eu movida de martelo, serrote e alicate resolver a parada.Tenho uma porção homem-macho que habita em mim nessas horas. Consegui remover os armários de uma parede e instalei um pequeno sofá-cama que em breve será substituído por outro maior, de canto, embora o antigo é um Interdomus Lafer de ótima qualidade que já serviu de cama para muitos hóspedes. As paredes esperam um pintor e novas cores - talvez um verde erva-doce nas demais paredes e um verde kiwi em uma parede, como nos demais cômodos da casa. Adoro essas duas cores conjugadas com tecidos berinjelas nos detalhes.
Pena que nunca faço fotos do antes porque o ímpeto de mudança surge rápido e nessas horas a minha cabeça está ocupada demais com minhas criações para pensar nesses detalhes. 
Depois dos móveis removidos achei que o espaço necessitava de mais um cantinho acolhedor. Eram mais das 10 horas da noite quando subia as escadas com duas cadeiras de braço, antigas, que estavam há anos abandonadas no quartinho do prédio à espera de doação.  O estofamento estava velho, empoeirado e era preto. Não gosto.

antes

Utilizando o grampeador de tapeceiro que mostrei acima, substituí por esse tecido verde - sobras de uma colcha rústica. A troca fora rápida, prática, sem sujeira, sem cola, sem pregos porque esse grampeador é uma ótima ferramenta para quem, como eu, que ADORA o "faça você mesma" e ODEIA esperar orçamento. 

Elas foram para esse espaço onde havia um armário de escritório sem utilidade alguma e que escurecia o  ambiente. Agora olhando a foto noto que a mesinha e o abajur têm o mesmo tom - vou tratar disso daqui a pouco, revirando minha caixa de retalhos à procura de um retalho para revestir a cúpula do abajur. Um berinjela? talvez.


Mantive esse gabinete  para abrigar livros e apoiar a tv. A parede bege vai ganhar o verde erva-doce e a amarela o verde kiwi. 

Tive que reconsiderar o chamado do técnico da Net porque na hora de recolocar o cabos e fios me atrapalhei toda, deixando a casa sem comunicação com o mundo externo e minhas filhas bicudas. Também continuo esperando o eletricista para dar um jeito nesses fios feios à mostra. 

Substitui o marceneiro pelo pintor e se esse resolve não aparecer, a minha porção homem-macho entra novamente em ação. 

Mas depois de tudo instalado, arrumado, escovado e penteado, vou deitar lá naquele sofazinho com meu marido, bebericando uma bebidinha, assistindo um filme (um filme de amor), restituindo a minha condição mulher que guardei durante dois dias, onde "vivi a ilusão que ser homem bastaria... Que nada, minha porção mulher é a porção melhor que trago em mim agora é que me faz viver...




17 de janeiro de 2012

Aventais infantis


a parte de trás ficou assim
No Natal fiz aventais para presentear as filhas de uma amiga querida, pois sei que as meninas gostam muito de participar no preparo dos quitutes. E qual menina não gosta de ajudar a mamãe ou a vovó na cozinha? Quando minhas filhas eram pequenas seus aventaizinhos e luvas sempre ficavam pendurados junto aos meus na cozinha. Era só a mamãe anunciar que ia fazer pão ou bolo lá iam as pequenas amarando seus aventaizinhos na cintura. Saudade...

A medida dos tecidos tem 25 de altura x 70 de largura. Dá para uma criança de até uns 12 anos. Se a criança for menor, diminua no comprimento. O laço ficou com 1,40 de comprimento x 5 cm de largura - use 10 cm de tecido para a largura porque vai dobrar o tecido. Franzi a cintura até ficar com uns 35 cm para depois pregar o laço. Para fazer o franzido passe duas costuras na borda do tecido (costure junto os dois tecidos como se fosse um só) onde vai ficar pregado o laço com o ponto bem largo (na Janome é no 4). Depois é só puxar as duas linhas de cima e ir franzindo até chegar ao tamanho dos 35 cm. Para ficar com esse arredondado na barra, dobre o tecido e corte a pontas, arredondando os cantos. Corte o tecido dobrado para que os dois lados fiquem iguais.
Com sobras de tecidos fiz luvas para pegar panela - usei manta no recheio.

E aí, não deu vontade começar a fazer os presentes para o próximo Natal? dia das crianças, lembrancinhas de aniversário, presentinhos para as meninas, oficinas de doces... Crianças adoram cozinhar junto às mamães, pois cozinhar também é um ato de amor, além de uma ótima distração para esse final de férias quando já voltaram da praia, já assistiram todos os filmes...

Hoje, quando minhas filhas anunciam estar com fome, lá vai a mamãe amarrar seu aventalzinho na cintura. Ô vida! Filho dá alegria, mas também dá tanto trabalho...


11 de janeiro de 2012

Coloco o quê nessa cestinha?

A Érica, do blog Só umas coisinhas minhas, dia desses me enviou um comentário dizendo que estava iniciando nas costuras. Eu fiquei super feliz saber que meu blog estava ajudando mais uma pessoa a realizar sonhos. Sim, sonhos, pois vocês não imaginam o quanto de gente sonha em costurar! E não é que hoje ela me manda um comentário toda eufórica, (dava para perceber pelas letras!) porque fez sua primeira cestinha de tecidos para servir pães? Ao invés de pães ela resolveu colocar bombons dentro dela. E por que não? Reparem o capricho da nova costureira!!! Ah, Érica, você não imagina o quanto isso me anima a inventar mais dessas coisinhas que em breve serão "suas coisinhas".
O passo a passo dessas cestinhas é ensinado aqui no curso de costura para iniciante. 




9 de janeiro de 2012

Costurar para criança é ótimo

... porque com apenas um retalho se faz coisas belas, a costura é rápida, a aceitação garantida e...
... porque tem gente fofa aproveitando as ideias... Vejam

A dedicada e amorosa Maria Alice, do blog Artes da Vó Tita, fez essas duas saias para suas netinhas usarem na passagem de ano. Fez até a faixinha de cabelo que também ensinei aqui. E para quem não sabe, a Maria Alice começou a se aventurar nas costuras há pouco tempo. Vejam o capricho, o pesponto dos cintos, a barra... Eu amo tudo isso. Amo mais essas iniciativas de vó amorosa porque um dia eu também quero ser assim! Maria Alice, te admiro demais por ser a pessoa que é, pois ensinando eu também vou aprendendo a ser avó...


7 de janeiro de 2012

blusinha dupla face


Veja aqui novo passo a passo dessa blusinha:
http://minhaprimeiracostura.blogspot.com.br/2015/05/blusinha-dupla-face-ou-forrada.html

5 de janeiro de 2012

E como era verde o meu vale...

Queridas amigas,
E como era verde o meu vale...
Voltei de viagem! Para mim uma alegria quando vou e outra quando volto, porque voltar para casa sempre é bom, seja lá onde for a sua casa no momento.  Hoje a minha casa está em Belo Horizonte, amanhã pode ser que esteja no nordeste, no norte, no sul, mas ela sempre será a nossa casa, o lugar onde guardamos nossa família do frio, do vento, do sol e da tempestade. E por falar em tempestade, quase chegamos afogados aqui em BH2O. Havia água por todo lado. Encontrei minhas palmeiras até gordinhas de tanto que beberam água as coitadinhas.

Depois de tudo guardado e arrumado abri o computador e meus olhos se encheram de água (não da chuva!) Eram tantos recadinhos, tantas mensagens boas, tantos elogios, votos de felicidade, agradecimentos... tanta gente que me acompanha desde o início do blog (abril de 2011), gente que assina "anônima" se revelou, gente que continua anônima, mas que continua gente. E meu coração se encheu tanto de gente que até esqueci dos amigos reais, pois agora vocês também são pessoas reais, são pessoas que me ajudam a crescer, a ser melhor, a praticar o que de mais belo tenho dentro de mim: generosidade! Fiz amigas que não estão apenas interessadas em aprender costuras e pegar dicas, mas amigas que querem compartilhar comigo também o que elas têm de melhor dentro delas. E daí eu me sinto GRANDE, importante, útil. E estou feliz em voltar mais cedo para o blog, embora havia dito que só voltaria em fevereiro. Voltei por causa de vocês!

Fomos para São Paulo passar o Natal junto à família e a nossa intenção, depois do Natal, era passar uns dias no litoral paulista que, aliás, para quem pensa que o Estado não tem praia boa, nas próximas férias dê um pulinho no litoral norte paulista (e no sul também, né gente de Santos, Guarujá, Praia Grande...) ou entre AQUI e veja uma pequena amostra de praias belíssimas que o nosso litoral possui - muitas vezes desconhecidas por boa parte dos mineiros do meu convívio que preferem a certeza absoluta do sol de "Cabufri" ou Guaraparí ao invés de se arriscar por "São Sebastião Trovão" ou "Ubachuva".  Se der, prefiram ir antes ou depois da temporada das chuvas. Aqui em Belo Horizonte também tem meses que são proibitivos aos turistas por causa da quantidade de chuvas que resolvem cair tudo de uma vez em apenas 3 meses (de dezembro a março). Os outros meses, seca, seca - sinto que até as pessoas ficam secas...

A Av. Paulista parecia um presépio ao vivo, lindo, encantado, me encantando...


Na manhã do dia primeiro de janeiro, logo cedinho, convidei uma das filhas para um passeio a pé pelos lugares que mais gostamos, ignorando a chuva que teimava em cair, nos deixando com cara de "pintos molhados."

Encontramos ruas desertas de gente, de carros... Tudo para nós, só para nós - até o canto dos pássaros naquela manhã era nosso...


Uma parada no Fran's Café, dando ao luxo de atravessar a Henrique Schaumann a passos de tartaruga 

As bandeiras do São Paulo, Palmeiras e Santos se abraçam, saudando o Ano Novo...

São Paulo tem lugar para todos... dá licença que eu também quero ir. É o verde violentando o muro!


Aqui nesse dia (30.12) eu estava com meu marido comemorando meus 53 anos!  Fomos jantar  no lugar que gosto, onde comi  e bebi o que gosto, do jeito que gosto. Depois voltei para casa meio alegrinha, achando que o mundo era só alegria!
E eu estava feliz também  porque nesse dia eu pude usar meu pretinho básico com meu casaco sem sentir frio, sem sentir calor, pois desde que fiz essa roupa não pude usar como gostaria e eu adoro essa roupa. Se quiser saber como fiz, clique AQUI e veja. 


E então, amigas, vamos continuar juntas (porque juntos é melhor!) nesse 2012, fazendo artes para nos encantar, para nos surpreender, nos alegrar e até nos irritar, quando às vezes a arte dá errado! Para algumas no sustento da família, para outras na cura de uma depressão, num sentido de vida, numa motivação e para mim, por um ENORME prazer que tenho de estar aqui ensinando costuras para iniciantes como terapia, como ajuda financeira, como prazer, como passa-tempo, como descoberta de novos amigos, novos povos, novo mundo, novos horizontes nesse Belo Horizonte que fica a cada dia mais próximo. Feliz 2012 para todas!
  • Obs: O título desse post se refere à visita que fizemos a um casal de amigos e filhas que moram em  São José dos Campos - cidade onde moramos por 5 anos. Somos amigos há mais de 15 anos e o nosso objetivo é um dia voltar a morar no Vale Paraibano, perto da montanha, perto da praia, perto da capital, pois o Vale que era verde, ainda continua verde...